Rodado entre os anos de 2007 a 2010, Nos Tempos da São Bento é um documentário que busca a memória coletiva do hip-hop. Um dos intuitos é resgatar a memória daqueles que fizeram a História do Hip-Hop, ocupando por vários anos o espaço do Metrô São Bento, no centro da cidade de São Paulo. Minuciosa, a estrutura discursiva nos leva ao conflito com o esquecimento; o ato social de se apagar fatos, pessoas e grupos da história. É justamente este conflito, apresentado através do exercício da narrativa, que se transforma em ação dramática, onde a personagem principal é a memória coletiva.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Na 24 de Maio, o antes!


Ao saber através de notícias
que haviam dançarinos na rua, Sérgio Rick foi conferir. Era a Rua 24 de Maio, onde as primeiras rodas de "Break" aconteceram, no início dos anos 80. Outro que nos conta esta história é o Billy, ex-dançarino da Funk e Cia.: "Nós não sabiamos do nome de nada, apenas que era uma dança robotizada e que se dançava nas ruas". O gesto de mimetizar a dança, deu início a chegada da cultura hip-hop em São Paulo. Muitos adolescentes passavam pela rua e ao observarem aquilo se encantavam, a identidade era imediata. A tendencia só cresceu, ainda mais depois da aparição do grupo Funk e Cia. na abertura da novela "Partido Alto", exibida pela TV Globo no anos 80. Um dos garotos na época, Kleber, conhecido como "Mister TV" conta que a polícia levava os meninos embora, caso não tivessem com documentos.Alguns estavam trabalhando de Ofice-boy e peridam a hora ali. Todos lembraram que havia poucos bailes e festas que se podia abrir uma roda e dançar. Já Carlinhos Kaskatas, diz ter sido o primeiro organizador de festas a abrir espaço para os dançarinos. Mesmo assim o local de ação era a rua e a 24 de Maio antecede a São Bento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário